Thursday, January 26, 2023
Niz Goenkar
Latest News

NOTÍCIAS TRISTES: Morreu O Rei do Futebol Pelé Aos 82 Anos
Thursday - Dec 29, 2022
NOTÍCIAS TRISTES: Morreu O Rei do Futebol Pelé Aos 82 Anos
Brasil: Como pode morrer alguém que é imortal? Edson Arantes do Nascimento pode, mas Pelé não pode. O primeiro faleceu esta quinta-feira, aos 82 anos, vítima de um cancro no colón e uma infeção respiratória. O segundo viverá para sempre, no imaginário de quem o viu jogar e de quem não viu. Quem viu, diz que nunca houve nem vai haver nada assim. Para esses e para muitos outros amantes do futebol, Pelé foi o mais brilhante jogador da história, que a FIFA reconheceu no ano 2000 como o "Melhor do Século XX", numa eleição ganha a meias com Diego Maradona, para não ferir suscetibilidades. O astro argentino, falecido em novembro de 2020, terá sido o único que no século passado se aproximou do nível do Rei. Talvez. No século XXI, apareceram Messi e Cristiano Ronaldo, duas lendas, que as gerações mais novas também compararão a Pelé. Neste dia triste, não vale a pena.

O antigo internacional brasileiro estava internado há um mês e o seu estado de saúde tinha-se agravado nas últimas semanas, o que levou a família a passar esta quadra junto do pai no hospital. O Rei do futebol sofria há anos de um cancro no cólon e estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A notícia foi avançada pela AP, citando o agente, e depois confirmada pela filha nas redes sociais.
 
Edson Arantes do Nascimento nasceu na localidade de Três Corações, em Minas Gerais, a 23 de outubro de 1940. Cresceu no meio da pobreza de Bauru, no interior de São Paulo. O pai admirava Thomas Edison, inventor da lâmpada, e uma gralha na certidão de nascimento transformou o nome do filho. Edson começou a jogar futebol nas ruas, como quase todos os génios brasileiros, e não demorou a perceber-se que o génio da lâmpada não ia deixá-lo ficar muito tempo no anonimato. Reza a lenda que começaram a chamar-lhe Pelé pela dificuldade em dizer o nome de Bilé, um guarda-redes que poucos chegaram a conhecer. Edson começou por não gostar da alcunha, mas ficou. Os anos seguintes levaram-no ao Santos, a equipa de uma vida, que começou a representar em 1956 e pela qual se sagrou duas vezes vencedor da Taça Libertadores e outras duas campeão mundial de clubes, em 1962 e 1963, a primeira para mal dos pecados do Benfica.
 
Golos, muitos, e um futebol de encantar, com um arsenal ofensivo completo, indicaram-lhe a rota da seleção brasileira, pela qual se estreou em julho de 1957, aos 16 anos. No ano seguinte, com 17, guiou o escrete à conquista do primeiro Mundial, para alegria de um país que ainda vivia na incredulidade de ter perdido em casa a final de 1950. Numa campanha fulgurante, que aqueceu a Suécia, Pelé começou o caminho para a imortalidade, concluído 12 anos depois, no México 70, para muitos o Mundial mais palpitante de sempre e com o melhor Brasil da história. Pelo meio, fez um jogo na edição de 1962, no Chile, que teve de abandonar devido a uma lesão. As lesões também o impediram de brilhar na fase final de 1966, com portugueses ao barulho, porque valia tudo para parar o imparável. Contas feitas, Pelé ganhou três títulos mundiais pelo Brasil, um feito ainda por igualar.
 

 
Os números, que hoje ditam todas as regras, também não mentem. Segundo o Santos, Pelé fez 1366 jogos, incluindo amigáveis, e marcou 1283 golos, mas a FIFA "só" contabiliza 812 jogos oficiais e 757 golos. No final da carreira, também jogou no Cosmos, de Nova Iorque, para ajudar ao sucesso do "soccer" nos EUA. Um sucesso efémero. A 1 de outubro de 1977, pendurou as chuteiras e iniciou um percurso de empresário, de embaixador do futebol no mundo e até de político, nem sempre consensual. Porque Pelé só podia ser consensual dentro de um relvado e com uma bola por perto. Aí, como disse um dia Johan Cruyff, ele foi "o único que ultrapassou os limites da lógica". Ou nas palavras do poeta Carlos Drummond de Andrade: "O difícil, o extraordinário, não é fazer mil gols como Pelé. É fazer um gol como Pelé".
 
Golos, muitos, e um futebol de encantar, com um arsenal ofensivo completo, indicaram-lhe a rota da seleção brasileira, pela qual se estreou em julho de 1957, aos 16 anos. No ano seguinte, com 17, guiou o escrete à conquista do primeiro Mundial, para alegria de um país que ainda vivia na incredulidade de ter perdido em casa a final de 1950. Numa campanha fulgurante, que aqueceu a Suécia, Pelé começou o caminho para a imortalidade, concluído 12 anos depois, no México 70, para muitos o Mundial mais palpitante de sempre e com o melhor Brasil da história. Pelo meio, fez um jogo na edição de 1962, no Chile, que teve de abandonar devido a uma lesão. As lesões também o impediram de brilhar na fase final de 1966, com portugueses ao barulho, porque valia tudo para parar o imparável. Contas feitas, Pelé ganhou três títulos mundiais pelo Brasil, um feito ainda por igualar.
 
Os números, que hoje ditam todas as regras, também não mentem. Segundo o Santos, Pelé fez 1366 jogos, incluindo amigáveis, e marcou 1283 golos, mas a FIFA "só" contabiliza 812 jogos oficiais e 757 golos. No final da carreira, também jogou no Cosmos, de Nova Iorque, para ajudar ao sucesso do "soccer" nos EUA. Um sucesso efémero. A 1 de outubro de 1977, pendurou as chuteiras e iniciou um percurso de empresário, de embaixador do futebol no mundo e até de político, nem sempre consensual. Porque Pelé só podia ser consensual dentro de um relvado e com uma bola por perto. Aí, como disse um dia Johan Cruyff, ele foi "o único que ultrapassou os limites da lógica". Ou nas palavras do poeta Carlos Drummond de Andrade: "O difícil, o extraordinário, não é fazer mil gols como Pelé. É fazer um gol como Pelé".

Back
Comments (2)
Aniceto Florindo
Friday - Dec 30, 2022
Adeus Sr. Edson Arantes do Nascimento, alias Pele. Você estará sempre em nossos corações pela mágica que fez com seus pés e seu amor pelo belo futebol.

Os jogadores de futebol agora pensam em si mesmos depois de vencer apenas um WC, mas você, tendo vencido 3 WCs, foi humilde o suficiente para não ser afetado por eles.
Menino de Valpoi
Thursday - Dec 29, 2022
É realmente uma notícia de partir o coração que o maior de todos os jogadores de futebol faleceu. Momento muito triste para o mundo do futebol que sua lenda deixou este mundo. Vencedor da copa do mundo três vezes e maior artilheiro de gols deixou uma memória que jamais poderá ser apagada deste mundo. Que sua alma descanse em paz no céu. Ele era católico praticante
Leave a Comment
* Name
* Email (will not be published)
*
* Enter verification code
* - Required Fields